Arquivo | Eu sou o mensageiro RSS feed for this section

Eu sou o mensageiro

23 jul

“A noite podia ter sido de qualquer forma, mas eu me sinto pronto agora. Quero fechar essa boca que só reclama e inventa desculpas, quero prosseguir a jornada. Chego a me encurralar na luz cada vez mais forte da sala. Penso: Não culpe ninguém, Ed. Aceite numa boa. Vou até a varanda e percebo minha própria visão limitada de mundo. Quero pegar este mundo e, pela primeira vez tenho a sensação de que posso fazer isso. Sobrevivi a tudo até agora. Ainda estou aqui, firme e forte. Tudo bem, vai, eu sei que é uma varanda toda fodida, caindo aos pedaços, e quem sou eu pra dizer que o mundo não é o mesmo? Mas Deus sabe que o mundo exige muito da gente. Porteiro fica paradinho só de butuca ao meu lado. Ao menos, tenta ficar parado. Quem olha até diz que é um cachorro confiável e obediente. Olho pra ele e digo:
– Chegou a hora.
Quantas pessoas têm esta chance?
E dessas poucas, quantas de fato aproveitam a oportunidade?”

Eu sou o Mensageiro


Ed Kennedy leva uma vida medíocre, sem arroubos .Taxista, joga cartas com cúmplices do tédio, apaixona-se por uma amiga que dorme com todos os vizinhos do subúrbio e é dono de um cão fedorento.Cheio de problemas amorosos e familiares, aos 19 anos, Ed, segundo a sua própria descrição, é um fracassado.

Certo dia, ele impede um assalto a banco e é celebrizado pela mídia. O ato heróico tem conseqüência. Logo depois, Ed recebe enigmáticas cartas de baralho pelo correio: uma seqüência de ases de ouros, paus, espadas, copas, cada qual contendo uma série de endereços ou charadas a serem decifradas. Após certa hesitação, rende-se ao desafio.
Ninguém que passará por Ed Kennedy sairá ileso de mudanças. Nem o próprio Ed Kennedy.

Ed Kennedy conta a sua própria história como um verdadeiro morador de subúrbio. Palavrões são soltos pelas páginas sem a menor frescura. Frescura que simplesmente não existe no livro. Nem em linguagem, nem em histórias contadas. Fracassos amorosos, fracassos sexuais, Ed conta todo o tipo de fracasso, sem esconder o modo que realmente é. Fracassos que o fizeram ser um também.

Markus Zusak cria um personagem comovente capaz de confrontar o mistério e, por meio da solidariedade, empreender um épico que o levará ao centro de sua própria existência.
——————————————————————————————–
Nome do Livro no Brasil: Eu Sou o Mensageiro
Nome Original: I Am the Messenger
Escrito por: Markus Zusak
Publicado no Brasil em: 2007
Editora: Intrínseca
Nº de Páginas: 320

Capa original:

Anúncios