Arquivo | Eu sou Alice RSS feed for this section

Eu sou Alice

30 ago

“Você costuma sonhar,Alice?”
Olhei para ele, sem saber o que fazer. Ele queria que eu me mexesse ou respondesse? Se eu mexesse, estragaria a fotografia. Mas ele parecia tão estranho, tão perdido, como se tivesse até se esquecido de que a câmera estava ali.
“S… sim, eu sonho”, respondi lentamente, tentando impedir que a cabeça se movesse.
“E com o quê você sonha?”
“Geralmente eu não lembro, não me lembro. Às vezes sonho com animais, ou aniversários. Não me lembro mesmo.”
“Pois eu às vezes sonho quando estou acordado”, ele continuou, sem dar sinal de se dirigir à câmera; mantendo-me de pé pela força do seu olhar. “Raramente sonho à noite. Mas durante o dia… às vezes tenho dor de cabeça, Alice. N… não conte isso à ninguém, mas tenho.”
“Sinto muito.”
”Não sinta. Eu não me importo, por causa dos sonhos que tenho antes. E sabe com o que eu sonho?”
“Não, senhor”, sussurrei. Eu tinha medo de me mexer e tinha medo de não me mexer.
“Sonho com você.”

Eu sou Alice

Alice Liddel tinha 7 anos quando posou para uma foto feita pelo Sr.Charles Dodgson na segunda metade do século XIX. Trajando um simples vestido de babados, ela encontrou a liberdade. Seus pés descalços tocavam pela primeira vez a grama da universidade de Oxford, onde seu pai era reitor. E a imaginosa e espevitada menina rolava no chão aos olhos silenciosos do fotográfo. Alguma coisa naquela cena, porém, incomodava bons costumes da época. Mas o que as mentes adultas poderiam considerar, mais que um atentado ao pudor, um ato de pedofilia, para a pequena Alice, era apenas o encontro com a mais pura poesia. Ao mesmo tempo, representava o momento de maior sintonia entre ela e seu amigo mais velho, o único que sempre falou a sua língua.
Dodgson era um professor de matemática, gago, que adorava a companhia das irmãs de Liddell, cujos pequeniques ele preenchia com histórias. E foi num desses dias ensolarados, que ele contou a história de uma Alice que caíra na toca de um coelho. Nascia, assim, Alice no País das Maravilhas, um dos maiores clássicos da literatura universal, que seria assinado por Lewis Carroll, pseudônimo que a mente livre do Sr.Dodgson criou.
Eu sou Alice é mais do que a história por trás do clássico, é um romance que recria, misturando fatos e ficção, a personaldiade apaixonante de Alice Liddell, a verdadeira Alice. Muito mais que uma biografia, é o esboço do nascimento de um País das Maravilhas que, para aqueles que souberem ver além, resiste auma realidade dura e melancólica.

——————————————————————————————–——————–
Nome do Livro no Brasil: Eu sou Alice
Nome Original: Alice I have been
Escrito por: Melanie Benjamin
Publicado no Brasil em: 2010
Editora: Planeta
Nº de Páginas: 347
Capa original: